fbpx

Pub

o seu negócio merece uma loja online (2)

Secretário de Estado da Economia aborda a “crise” no calçado – Parte 1

Desafios atuais: A luta da indústria do calçado contra a inflação, excesso de stock e a concorrência asiática. - "O Mais Famoso Podcast Sobre Calçado!"
podcast Pedro Cílinio

No mais recente episódio de “O Mais Famoso Podcast Sobre Calçado!”, Pedro Fonseca e Rui Oliveira conversaram com Pedro Cilínio, Secretário de Estado da Economia.

Pedro Fonseca destacou a falta de encomendas nos meses tradicionalmente fortes para a produção da estação de inverno. “As fábricas trabalharam a meio gás, sem horas extras. Algumas não têm encomendas para setembro“, disse.

Rui Oliveira traçou um panorama geral complexo na indústria do calçado. Ele atribuiu a crise a vários fatores, incluindo os efeitos residuais da pandemia de Covid-19. “O ano de 2022 foi atípico em termos de encomendas, devido ao encerramento do mercado asiático e à deslocalização de produções para a Europa, especialmente para Portugal“, explicou. Com a reabertura do mercado asiático em 2023, muitos clientes voltaram a fazer encomendas em países asiáticos, impactando negativamente o setor português.

Rui Oliveira também mencionou outros desafios, como o excesso de stock das marcas de 2022, a inflação que retraiu o consumidor, a cautela dos investidores e a guerra na Ucrânia. Destacou a necessidade de o setor se adaptar, focando em vantagens competitivas, como entregas rápidas e flexíveis, em vez de competir em preço com o mercado asiático.

Os dados estatísticos do INE não refletem a realidade de muitos empresários“, lamentou Rui Oliveira, referindo-se à discrepância entre as estatísticas oficiais e a situação no terreno. Falou sobre empresas em lay-off e a subcontratação enfrentando dificuldades extremas.

Rui Oliveira concluiu com uma previsão sombria para os próximos meses: “O ano de 2023 será de extremas dificuldades para a indústria de calçado, especialmente para o mercado europeu, onde também se sentem os impactos negativos da inflação.”

 

Na sua análise da sobre a situação atual da indústria do calçado, o Secretário de Estado da Economia começou por destacar os efeitos transitórios e conjunturais que a indústria está a enfrentar, nomeadamente o chamado “efeito chicote” causado pela pandemia de Covid-19. Este efeito refere-se à assimetria de informação entre consumidores, retalhistas, grossistas e produtores, levando a flutuações na oferta e procura. Este efeito, exacerbado pela pandemia de Covid-19, resultou em excesso de stock e consequente redução de encomendas.

Citando conversas com empresários na Micam, Pedro Cilínio mencionou que muitos já previam um 2023 menos próspero, após um 2022 excecionalmente bom para o setor. “Muitos empresários já o diziam: diziam que 2022 foi ano tão bom que se em 2023 eu mantiver, ou mesmo que reduza pouco a minha atividade, já estarei bastante satisfeito“, afirmou.

Contudo, Pedro Cilínio mostrou-se preocupado com a contração de alguns mercados, especialmente o alemão, “que é o principal mercado de exportação do calçado e que está estagnado”. A estagnação deste mercado, juntamente com ajustamentos inflacionistas e taxas de juro, tem criado incertezas para os agentes económicos. “Esta incerteza daquilo que é o motor da economia europeia, cria também incerteza nos agentes económicos e obviamente no setor do calçado, uma vez que 21% das exportações são para o mercado alemão”.

No entanto, o secretário de Estado da Economia também trouxe algumas perspetivas otimistas. Ele acredita que a subida das taxas de juro pode estar a chegar ao seu pico e que a inflação em Portugal está a mostrar sinais de redução. “Poderemos estar perante aquilo que é o planalto da subida das taxas de juros. A expectativa que temos é que a inflação tem vindo a demonstrar uma redução acentuada, neste momento já estamos a 3,1% em Portugal, esperemos que o resto da Europa continue também nesta progressão, uma vez que está ainda pouco acima”, disse.

De acordo com Pedro Cilínio, a estagnação e diminuição das taxas de juro poderão ter dois efeitos: “Por lado, permite que as empresas retomem as suas estratégias de investimento, uma vez que perante a incerteza é normal que as empresas façam algum compasso de espera para perceber como é que as coisas vão correr; mas também permite devolver rendimentos aos cidadãos, uma vez que os cidadãos estão a ser penalizados pelo aumento das taxas de juros, principalmente no que tem a ver com os créditos da habitação”.

O Secretário de Estado da Economia concluiu com uma palavra de esperança para o futuro, acreditando que a redução das taxas de juro em 2024 poderá ter um impacto positivo na economia portuguesa e, consequentemente, no setor do calçado. “Esperamos que em 2024, que é essa a perspetiva, já podemos ter algumas reduções de taxa de juros. Eu sou otimista por natureza, acredito que sim, que iremos ter, e que isso já poderá traduzir num efeito positivo, retirando um pouco este travão que está a ser colocado pela política monetária sobre as várias economias, e a economia portuguesa também acaba por ser afetada também por esse travão”, concluiu Pedro Cilínio.

O Mais Podcast Famoso do Calçado

Todas as terças feiras, Pedro Fonseca e Rui Oliveira falam sobre o dia-a-dia da indústria do calçado: as notícias, o design, a tecnologia. E, mais importante, as pessoas por detrás da indústria.
Aperte os seus sapatos e ouça o podcast, com um novo episódio todas as terças feiras!

Subscreva "O mais famoso podcast sobre calçado!"

Ao assinar o nosso podcast significa que os novos episódios serão entregues assim que estiverem disponíveis. Dessa forma, não precisa procurar o podcast sempre que quiser ouvir ou perguntar se um novo episódio foi lançado.

Facebook
Email
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Recomendado Para si

OFERTAS DE EMPREGO

No Content Available

Pub

Breves de Felgueiras

Disponível no Google Play

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

1111

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

2222

Partilhe as suas ideias, dicas ou opiniões…

Ajude-nos a fazer um trabalho cada vez melhor!

33

Colabore com o Felgueiras Magazine

Gosta de escrever, ou de fotografia ou de vídeo...

44

Anuncie no Felgueiras Magazine

Para além de promover a sua empresa, ajuda este projeto, feito por felgueirenses para Felgueiras!

felgueiras magazine Logo

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis