Que venham leves brisas

colectânea Felg
Autor: Mário Adão Magalhães
Autor: Mário Adão Magalhães

Jornalista

A Cultura, desde sempre parente pobre, tem, em Felgueiras, perdido para diversos eventos apreciáveis, ainda que alguns deles não tenham raízes no antanho felgareano. Mas como sou sequaz de “que se faça”, e que tudo tem que começar por algum lado, sobretudo pelo princípio, um dia terão raízes da nossa cultura, na nossa terra, nas nossas tradições.

Felgueiras tem um executivo jovem, dinâmico, descentralizador – nunca tal se viu em Felgueiras! – quase não se vê, ou unicamente, a assinatura do presidente, num verdadeiro sentido de democratização. Também seria apreciável inovar noutras áreas essenciais.

A Cultura está à cabeça, acima de tudo. Sem ela o que supracito não pode acontecer. Porque não dar mais atenção aos autores da terra!

Sempre se deu pouco interesse aos autores da terra. Mas ora, com ideias novas, era relevante que se fomentasse e promovêssemos a Cultura local. Autores, artistas, publicistas.

Em 1989 editou-se uma publicação: Primeira Colectânea de Poetas Felgueirenses, edição do Pelouro da Cultura, com o intuito de ter regularidade anual.

Foi uma publicação de regime porquanto não se deu palavra deliberadamente a A. Garibáldi, cá por coisas, como dizia Barbosa du Bocage.

Não se pede nada para nós – e este nós sou eu, sejamos claros, para que não se faça conjecturas maldosas, que são previsíveis.
Pede-se para os felgareanos, para que muitos outros autores que vão aparecendo se estimule, se promovam. Para que conheçamos os nossos valores, que um dia alguns deles poderão ser do jaez de felgareanos imortalizados em tanta obra e diversas áreas. Temo-los – se virmos bem, de antes de Manuel Faria e Sousa ou de Nicolau Coelho.

Mas também não se pretende – este nós sou eu, para que se não faça conjecturas previsíveis e maldosas – que se tornem todos tão valorosos quanto aqueles. Tem realmente aparecido alguns talentos, mas se se não for à missa não há renovação interior – estou eu inspirado! Se tal acontecer pode desenvolver-se estes valores.
Nalgumas actividades que não contesto nem um pedacinho, vemos autores de diversas áreas, mas quase nunca, se mostra os locais quem tem algum valor na contemporaneidade.

As nossas escolas estão muito dinâmicas: Há uns anos, Bárbara Ribeiro, aluna da Secundária de Felgueiras – compilou e publicou numa separatazinha baseada na colectânea supracitada. Práticas semelhantes têm tido prática em organismos de ensino ou formação.

Temos autores com mais visibilidade fora de Felgueiras.
Um dia seria tão bom que apresentássemos os “nossos” por cá. Mas para lá chegar tem que haver apoio e a sacramental travessia no deserto.

(Não pratico deliberadamente o chamado Acordo Ortográfico).

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Recomendado Para si

felgueiras magazine Logo

Pub

WEBSITES A PARTIR DE 25€ POR MÊS!

Se a sua empresa não está no Google, está a perder clientes todos os dias.

Contacte já a Login e aproveite esta promoção!

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

1111

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

2222

Partilhe as suas ideias, dicas ou opiniões…

Ajude-nos a fazer um trabalho cada vez melhor!

33

Colabore com o Felgueiras Magazine

Gosta de escrever, ou de fotografia ou de vídeo...

44

Anuncie no Felgueiras Magazine

Para além de promover a sua empresa, ajuda este projeto, feito por felgueirenses para Felgueiras!

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.