fbpx

Pub

o seu negócio merece uma loja online (2)

Felgueiras é o concelho do distrito do Porto onde se paga menos pela fatura da água

As diferenças no preço da água entre concelhos no distrito do Porto podem chegar a 275,37 euros por ano.
água

A Deco Proteste alertou, ontem, para a falta de equidade dos preços na fatura da água entre concelhos. De acordo com uma análise da associação, as diferenças encontradas chegam a superar os 400 euros por ano, depois de ter analisado as tarifas dos serviços de abastecimento de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos incluídos nas faturas de água cobradas aos cidadãos nos 308 municípios do país.

No distrito do Porto, os três concelhos onde se cobra mais na fatura da água são Trofa (503,61 euros/ano), Santo Tirso (490,77 euros/ano), e Vila do Conde (480,21 euros/ano). Já os concelhos onde a fatura da água é mais barata no distrito do Porto são Felgueiras (228,24 euros/ano), Porto (269,91 euros/ano), e Marcos de Canaveses (272,8 euros/ano).

A nível nacional a Trofa (503,61 euros/ano) é também o concelho que mais cobra na fatura da água, em contraponto com Lajes das Flores (9,36 euros/ano), nos Açores.

“Os cerca de 200 quilómetros que separam a Trofa, no distrito do Porto, de Vila Nova de Foz Côa, no da Guarda, ficam aquém, simbolicamente, da distância que os afasta na conta que os seus habitantes pagaram, em 2021, pela água que saiu das torneiras das suas casas, e ainda pelo seu tratamento e pelo serviço de resíduos sólidos. Se os primeiros desembolsaram 503 euros por 120 m3, os segundos ficaram-se por 88,20 euros – menos 414,80 euros”, comunicou a Deco Proteste.

Elsa Agante, Team Leader de Energia e Sustentabilidade da Deco Proteste, exemplifica ainda que esta diferença pode levar a que “uma família de três ou quatro pessoas, em diferentes zonas do país, e com um gasto idêntico, receba faturas bastante desiguais”. E dá exemplos: “O cidadão de Vila do Conde pagou 250 euros por ano pelo abastecimento, mas, não muito longe, o de Terras de Bouro, somente 46,50. Ou, mais a sul, o de Penedono, 53,80 euros, ou ainda, nas planícies alentejanas, o almodovarense, 56,68 euros”.

Face a este cenário, a Deco Proteste defende que “é necessário o reforço do quadro regulatório no que diz respeito a regras e princípios de faturação, como primeiro pilar da redução das assimetrias a nível nacional e mecanismos de harmonização tarifária”.

Facebook
Email
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Recomendado Para si

OFERTAS DE EMPREGO

No Content Available

Pub

Breves de Felgueiras

Disponível no Google Play

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

1111

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

2222

Partilhe as suas ideias, dicas ou opiniões…

Ajude-nos a fazer um trabalho cada vez melhor!

33

Colabore com o Felgueiras Magazine

Gosta de escrever, ou de fotografia ou de vídeo...

44

Anuncie no Felgueiras Magazine

Para além de promover a sua empresa, ajuda este projeto, feito por felgueirenses para Felgueiras!

felgueiras magazine Logo

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis