fbpx

Pub

o seu negócio merece uma loja online (2)

Exportações de calçado com um duro golpe: “a boa notícia é que o ano de 2023 já passou”

Em 2023, a indústria do calçado em Portugal enfrentou uma das suas maiores provas, com uma queda de 11,3% em quantidade e 8,2% em valor nas exportações. A retoma do crescimento no setor do calçado português depende agora da recuperação económica de mercados cruciais. Com a esperança de que 2023 seja um ano de viragem, o setor olha para o futuro com cauteloso otimismo.
calçado

Em 2023, a indústria portuguesa de calçado enfrentou uma significativa quebra nas exportações. Os dados indicam que foram exportados 66 milhões de pares de calçado, num total de 1839 milhões de euros. Esta performance traduz-se numa diminuição de 11,3% em quantidade e de 8,2% em valor, em comparação com o ano anterior, apesar de um aumento de 3,45% no preço médio por par, que se fixou em 27,70 euros.

O sector foi particularmente afetado pelo fraco desempenho da economia alemã, que registou uma quebra de 5,6%, correspondendo a 406 milhões de euros. Outros mercados europeus também registaram recuos significativos, nomeadamente os Países Baixos (-13,7% para 259 milhões de euros), Reino Unido (-9% para 115 milhões de euros) e Dinamarca (-28,5% para 71 milhões de euros).

A indústria portuguesa de calçado viu igualmente interrompida a trajetória de crescimento no mercado norte-americano, recuando 11,3% para 101 milhões de euros. Recorde-se que os EUA foram, de resto, o grande mercado à escala mundial com pior desempenho.

A boa notícia é que o ano de 2023 já passou. Temos a expectativa de que a recuperação económica de alguns dos nossos principais mercados, crie oportunidades para as empresas portuguesas já este ano”, afirmou Paulo Gonçalves, porta-voz da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS).

Entre os dois grandes blocos económicos, assinala-se um recuo das importações de calçado na ordem dos 30% nos EUA (dados finais) e de 11% na Europa (dados de outubro), com destaque, pela negativa, para as quebras de 16% na Alemanha, 13% no Reino Unido e 11% em França.

Em resultado, todos os grandes players do setor terminaram 2023 altamente penalizados pelo abrandamento económico a nível mundial.

Os cinco principais produtores mundiais de calçado, respetivamente China (quebra de 13% na totalidade o ano), Índia (recuo de 17% nos primeiros 11 meses do ano), Vietname (perda de 17% até novembro), Indonésia (menos 19% até novembro) e Brasil (queda de 11% na totalidade do ano) registaram perdas muito expressivas em 2023. Em conjunto, estes cinco países asseguram praticamente 80% da produção mundial, o equivalente a 19 mil milhões de pares de calçado. Já Portugal, recuou 8,2%.

O abrandamento económico internacional, em particular em mercados de grande relevância como a Alemanha, a França ou os Estados Unidos penalizou fortemente o setor do calçado no plano externo”, considera Paulo Gonçalves. “A indústria portuguesa de calçado exporta mais de 90% da sua produção, pelo que está sempre dependente da evolução dos principais mercados externos”, sublinhou o porta-voz da APICCAPS. “Trata-se no essencial de um problema de mercado: a pouca procura e o excesso de stocks no mercado condicionou a atividade exportadora portuguesa”, concluiu.

Componentes para calçado, artigos de pele e marroquinaria registam crescimento

Apesar destes desafios, a fileira de calçado e artigos de pele em Portugal apresentou sinais de resiliência e capacidade de adaptação. No último ano, o cluster exportou um total de 2.222 milhões de euros, uma diminuição de 5,1% em relação ao ano anterior. No entanto, o setor de artigos de pele e marroquinaria registou um crescimento de 14%, alcançando os 310 milhões de euros, enquanto o segmento de componentes para calçado viu um aumento de 13,6% nas suas vendas externas, atingindo os 73 milhões de euros.

Temos vindo a consolidar o cluster de calçado e de artigos de pele em Portugal”, defendeu Paulo Gonçalves. Em resultado, no âmbito do Plano Estratégico, há a intenção de investir 600 milhões de euros até final década. “É o nosso maior sinal de confiança: independentemente dos ciclos conjunturais, acreditamos nas empresas e no seu potencial”.

Facebook
Email
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Recomendado Para si

OFERTAS DE EMPREGO

No Content Available

Pub

Breves de Felgueiras

Disponível no Google Play

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

Envolva-se com o Felgueiras Magazine

1111

Subscreva a nossa Newsletter​

Receba semanalmente no seu endereço de e-mail as últimas notícias de Felgueiras e da região.

2222

Partilhe as suas ideias, dicas ou opiniões…

Ajude-nos a fazer um trabalho cada vez melhor!

33

Colabore com o Felgueiras Magazine

Gosta de escrever, ou de fotografia ou de vídeo...

44

Anuncie no Felgueiras Magazine

Para além de promover a sua empresa, ajuda este projeto, feito por felgueirenses para Felgueiras!

felgueiras magazine Logo

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis

Pub

Sabia que o Felgueiras Magazine tem um departamento de Marketing Digital?

– Criamos o seu site ou Loja Online com Design Inovador
– Gestão de Redes Sociais para Ampliar Seu Alcance
– SEO para Posicionar Sua Marca no Google
– Design Gráfico Criativo que Capta Atenção
– Vídeo e Fotografia para Histórias Memoráveis